Mad Max vem aí! Cof, cof.. agora nos videogames

Este ano o mundo viu o “reboot” do filme Mad Max e dentro de algumas semanas – mais especificamente no dia 1º de setembro, verá um novo game da série, desta vez para a nova geração de consoles.

Quem já é mais velhinho certamente se lembra de Mel Gibson no papel principal, da participação de Tina Turner e do enredo apocalíptico dos filmes originais, que foram sucesso. Quem é mais novo deve ter visto o mundo estremecer com o novo Mad Max no cinema.

A mesma coisa vai acontecer aos fãs dos games. Há quem já tenha jogado Mad Max – você lembra dele no Nintendo de 8 bits, lançado em 1990? – antes e há quem vai jogar a partir de setembro, quando um novo game baseado em Fury Road, o reboot da trilogia Mad Max chegará ao Xbox One, PlayStation 4, Windows e Linux.

Dá uma relembrada nele aqui:

O enredo do novo game

Ao contrário do que muitos games fazem, a história do game Mad Max não é a mesma do filme. É uma história com base em um dos universos mais bacanas do cinema no universo pós-apocalíptico.

Você controla Max Rockatansky após um indesejado encontro com Scabrous Scrotus, líder de uma gangue e filho do vilão Immortan Joe. Max foi roubado, levaram suas roupas, suprimentos, armas e seu carro V8 Interceptor e deixado no deserto para morrer.

Mas, é claro que as coisas não são bem assim. O herói consegue sobreviver e encontra um mecânico, Chumbucket, que criou um carro, o Magnum Opus, e forma uma parceria para a sobrevivência e, é claro, a vingança. O jogo é single player.

UPDATE: Fizemos a análise do game. Confira aqui.

A mecânica de Mad Max

Nos filmes, Mad Max acontece dentro e fora dos carros. No game isso também acontece, com combates corpo a corpo e também combates veiculares, em um modelo que a Avalanche, responsável pelo desenvolvimento do game, teve que criar do zero.

Personalização é a chave de tudo e além de personalizar Max para que ele fique um pouco mais do jeito que você quer, é possível personalizar o Magnum Opus. Escolher a carroceria, equipar as armas e decidir onde serão investidos recursos para tornar a sua máquina imbatível nos combates que acontecerão pelos caminhos do deserto.

Você pode, inclusive, usar troféus de suas batalhas para tornar seu carro mais ameaçador e afugentar alguns inimigos mais fracos ou debilitados. Toda a ação, tanto dentro quanto fora do veículo, está incrível.

Os mapas foram criados cuidadosamente. A preocupação da Avalanche foi em moldar um cenário pós-apocalíptico realista, e para isso criou um cenário que posteriormente foi transformado em deserto. O resultado é que ao explorar é possível encontrar estruturas e itens da civilização, que dá dicas do que era o lugar antes de virar um deserto.

Caberá ao jogador também encontrar e administrar recursos como água, armas e munição e, logicamente, combustível que será utilizado pelo veículo, e até mesmo controlar a perspectiva de jogo, que poderá ser feita em terceira pessoa ou primeira pessoa, tanto dentro quanto fora do veículo.

A história do game

O Mad Max, da Avalanche Studios, não é o primeiro game com base na série do cinema. Em 1990, os jogadores da plataforma NES (em português, o Nintendinho 8 bits) encararam o desafio de controlar o game por tortuosos caminhos.

No videogame era impossível recriar a aparência dos astros do cinema. Os gráficos eram pixelados. Mas apesar de não ser fiel à aparência, parecia fiel ao desafio que seria viver em um mundo pós-apocalíptico. Era difícil pra caramba de controlar.

Vamos aguardar para ver como se sai o game de nova geração. Os gráficos parecem com os de cinema. Se a ação trouxer a mesma empolgação que trouxe Fury Road nas telonas, os gamers vão ganhar um novo título de peso para as suas coleções.

Veja Também

Comentários

Mais Acessados

curta nossa página